Endocrinologia

Cefaleia crônica e obesidade: uma possível associação

Logo Medclub
Equipe med.club
2/1/2023
Compartilhe este artigo

Artigo de metanálise, publicada no periódico The Journal of Headache and Pain, objetivou avaliar possível associação da incidência da cefaleia crônica e o índice de massa corporal (IMC) aumentado. A cefaléia crônica é definida como a cefaléia presente por ≥ 15 dias/mês por mais de três meses, e tem como causa mais frequente para o seu surgimento o uso excessivo de medicamentos. Já a obesidade, doença metabólica crônica, é definida como IMC ≥ 30 kg/m2. A prevalência da obesidade aumentou em proporções epidêmicas nos últimos anos, com incremento de 27,5% em adultos e 47,1% em crianças. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que, até 2025, 2.3 bilhões de indivíduos estejam com excesso de peso, sendo 700 milhões desses com obesidade. Dessa forma, o reconhecimento e manejo das comorbidades associadas a essa doença tornam-se cada vez mais relevantes na medicina.

Foram incluídos neste estudo artigos observacionais de língua inglesa, tendo a cefaleia crônica como variável desfecho, e o sobrepeso e a obesidade comparados com o IMC normal como variáveis de exposição. Foram analisados 2.022 artigos, dos quais 4 adentraram os critérios de inclusão. Apesar do número pequeno de artigos incluídos, os resultados deste estudo foram esclarecedores. Os autores concluíram que o aumento do risco para cefaléia crônica não foi observado quando comparados pacientes com sobrepeso e obesidade grau I (IMC 30-34,9 kg/m2) com pacientes com IMC normal. Entretanto, pacientes com obesidade grau II (IMC 35-39,9 kg/m2) e II (IMC ≥ 40 kg/m2), quando comparados com pacientes com IMC normal, apresentaram maior incidência da cefaléia crônica. Apesar dessas evidências, mais estudos precisam ser conduzidos a fim de encontrar uma possível correlação entre o IMC alterado e a cefaleia crônica.

Continue aprendendo:

FONTE:

Compartilhe este artigo